.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Encontros



Dos livros que já li, pareciam reais quando neles a minha imaginação se fazia presente.
E quanto aos sonhos de identificar a minha pátria?

Foi perdido pelos caminhos da vida que atravessei.

Não existe culpado, apenas o coração se estraçalhava enquanto o amor se dissipava.

E lá na agonia, no poço que parecia apenas a escuridão, o teu olhar apareceu como luz para reascender a esperança.

Em poemas espalhados pelos cantos, busco encontrar meu paraíso, um acalento que desfaz o nó.

E das lágrimas, o choro de quando ainda era criança vivendo num mundo de fantasia,

Da história, os passos não retrocedem, pois as chaves já foram perdidas e jogadas ao leu.

Há de se ter o amor e a ânsia jamais se apagará nos segundos inquietos que é a beleza de sorrir,
de ser o que somos, nos mares ou em terras obscuras e claras. Do amargo ao doce, da brisa a ventania, das prisões a liberdade, tudo está no ar.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial