.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

A poetisa tropical lançará livro em Ipiaú




Se um dia eu perceber que existe perfeição no ser humano é porque não caiu mais na besteira de acreditar. Então, nessas andanças encontramos várias pessoas persistentes e com muita coisa para mostrar.


Não é por acaso que ao ler “A realidade é um copo”, escrito por Luziene Pereira, vi muitas viagens criadas pela autora para explicar os casos da vida.



Uma história envolvente que lhe instiga a chegar ao desfecho. Poemas, histórias e frases bíblicas contemplam as ações do romance.

Tudo imaginação, por outro lado, é fantástico, pois, são registros de uma vida sonhadora escrevendo sobre o místico da vida, o amor. Vale à pena Ler.


“A realidade é um copo é um livro que eu conto um pouco da minha história de vida em capítulos, permeada pela realidade ambiental, social, pessoal e espiritual”, explicou Luziene.


VIDA


Estamos rodeados de artistas em nossa região e nunca ouvimos falar deles, devido a falta de espaço ou até mesmo apoio para que o artista possa exibir seu trabalho. A realidade não é tão fácil assim.  



O Bote Fé é um espaço destinado aos sem voz, aos que cultivam o amor independente de qualquer situação. A mim, como jornalista, resta o dever de fazer e anunciar que o artista existe.


Partindo desse ponto, deve-se entender que existem diferenças nas lutas para viver, cada um tem seu destino e sua forma de agir.

Luziane Pereira mora na zona rural de Itagibá, faz letras na Universidade do Estado da Bahia e é filha de lavradores. Família humilde, mas super acolhedora e hospitaleira.


Passou por diversas dificuldades, as escuridões são muitas, mas o importante é que ela achou um ponto de luz ou o fio da meada para seguir viagem e assim ressaltou.


“A literatura é tudo para mim, escrevo para me libertar, para externar meus sentimentos e transmitir o que de melhor sentimos. Eu estou na caminhada, me descobrindo aos poucos e, estou escrevendo e me inscrevendo na sociedade”, contou Luziene de forma profunda e libertadora.


Luziene ainda acrescentou: “escrevo desde criança, comecei fazendo música, mas  como venho de origem  pobre e não tinha dinheiro para comprar instrumentos, desemboquei para a poesia e literatura. Na escola meus colegas me pediam para fazer parodias. Hoje  me sinto feliz, porém ainda  tenho muita  coisa a fazer”.

Lançamento


Os opostos se atraem”, esse é nome do segundo romance de Luziene.  A obra conta a história de amor entre dois adolescentes e uma bonita amizade entre duas amigas. A história trás contexto das cidades de Ipiaú e Japomirim, distrito de Itagibá.


O livro será lançado no dia 25 de novembro deste ano, às 18h, na UNEB de Ipiaú. 

 Antonio(Pai), Maria(Mãe) Luziene e sua filha 

Para seu Antonio Torres que é lavrador e pai de Luziene, “é uma felicidade imensa, pois vim da zona rural e criei minha família com muita dificuldade, porém nunca precisei pedir, mas já trabalhei muito de vaqueiro, lavrador e hoje sou meeiro de roça e graças a deus não me falta nada. Por isso fico orgulhoso, pois vejo minha filha como uma escritora e concluindo os estudos, coisa que eu nunca tive na minha vida”, concluiu com lágrimas nos olhos.
     

  

Vicente Andrade
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial