.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Centenas de pessoas participam do 2° agrocacau para discutir sobre a agricultura familiar





 
participantes 

Centenas de pessoas participaram do último dia da programação do 2° Agrocacau, na AABB de Ipiaú, hoje (24).

Durante as atividades do evento foram discutidos novas possibilidades de produção do cacau e também do fruta-pão como alternativa alimentar.

Além disso, também foi abordada a questão do desenvolvimento agrário da região do Território Médio Rio das Contas e da agricultura familiar.

Representantes de associações, cooperativas, lideranças políticas, empresários, agricultores, estudantes e professores dos 16 municípios que abrange o território contemplaram a iniciativa.




O evento foi realizado pelo Colegiado do Território de Identidade do Médio Rio das Contas (TIMRC), por meio da Câmara Territorial do cacau e do chocolate (CTCC).

Agriculta familiar

O delegado federal de desenvolvimento agrário,   Welliton  Rezende durante a palestra sobre a agricultura familiar  afirmou que:
Welliton  Rezende

“A agricultura familiar tem sido um tema de suma importância que está sendo discutido em todos os territórios para o desenvolvimento da agricultura e para a melhoria da economia dos pequenos agricultores por meio de políticas públicas”, disse Wellinton.

O deputado estadual Marcelino Galo que é presidente da comissão de agricultura e política rural, ressaltou a importância do evento para discutir as novas tecnologias e o conhecimento em conjunto.
Marcelino Galo

“O evento foi importante para discutir o assunto e para introduzir o manuseio de novas tecnologias. Assim como, para a recuperação e investimento para a lavoura cacaueira da agricultura familiar”, explicou Marcelo.

Fazendo o chocolate

O 2° Agrocacau teve sua especificidade em mostrar aos agricultores novas formas de produzir o chocolate artesanalmente. Uma boa ideia para os pequenos produtores de cacau.

Genize
Genize Nascimento, dona da empresa Cacau Bahia, apresentou durante a feira, realizado no auditório da AABB, como é feito o chocolate artesanal.

“Na fazenda onde eu moro já produzíamos o cacau e a partir disso, criamos uma máquina para fazer o chocolate de qualidade, com grande teor de cacau artesanalmente”

Ainda de acordo Genize, “aos poucos, os pequenos produtores tem quebrado o tabu de que, só as grandes indústrias podem fazer o chocolate”.

Genize complementou que a máquina produz cerca de 30 quilos de chocolate ao dia e é um ótimo negócio para os pequenos produtores de cacau.

Máquina para refinar cacau criada pela Cacau Bahia

“Fazemos tudo artesanalmente que vai da colheita até a torração. Porém, a única coisa que necessitamos da máquina é apenas para o refinamento do cacau”, explicou Genize.

Estudantes participam do 2° agrocacau

Estudantes do sétimo e oitavo ano, juntamente com os professores do Colégio Ângelo Jaqueira de Ipiaú, foram ao evento conhecer a história do cacau e como é feita a produção do chocolate.
Estudantes do Ângelo 

Vitor Manuel, 13 anos, estudante do sétimo ano do Ângelo, provou o chocolate artesanal e teceu comentário produtivo para o evento.

“Percebi como é fácil a produção do cacau artesanal. Provei o chocolate e gostei, pois, tem um sabor meio amargo, porém é gostoso de saborear”, frisou Vitor.       

Vitor Manuel 

Uma das professoras que acompanharam os estudantes, Eunaiara Rodrigues, que leciona a disciplina de história, comentou sobre a importância do evento para os estudantes.

Professora Eunaiara 

“Trouxemos os estudantes com o objetivo de mostrar a importância histórica do cacau para a nossa região. O evento foi importante para transmitir novos conhecimentos para os estudantes sobre o assunto”, ressaltou Eunaiara.
Equipe de professores
Esquerda para a direita: Erlon Mathias, Deisiane Santos, Cristiane Sousa, Eunaiara, Luci Moura, Mauricio Andrade   

Euclides Neto e a reforma agrária

As atividades do evento serviram para apresentar ao público as obras do ex-prefeito e escritor do município de Ipiaú, Euclides Neto.

Conta a história que Euclides Neto foi a primeira pessoa do Estado da Bahia a implantar a reforma agrária em  meados dos anos de 1964, na fazenda do povo, em Ipiaú, na época da ditadura militar.
Cecília de Carvalho, moradora do município de Itiúba, conheceu Euclides Neto e participou do governo do ex-prefeito.

Cecília que é presidente da coordenação estadual dos territórios e integrante do Conselho Estadual de Desenvolvimento territorial (Cedeter), contou um pouco sobre a pessoa de Euclides Neto.
Cecília 

“Participei ativamente da reforma agrária no governo de Euclides Neto. Eu era advogada da pastoral da terra e também integrante do Movimento Sem Terra. Tenho Euclides Neto como um homem sensível, que tratava o povo com honestidade e respeito”.

Cecília ainda disse que: “ Já vi Euclides chorando muitas vezes por perceber o sofrimento do povo. Ele era um homem muito preparado e tinha um carinho imenso pelo trabalhador. Ele entrou juntamente com os trabalhadores  na ocupação da fazenda do povo. Era um homem de bom coração”, concluiu Cecília.

Objetivo alcançado    

Ediane da Silva, professora da cidade de Itagí e filha de produtor rural, presente no evento, falou do orgulho de morar no campo e também da importância do evento para valorizar a terra.
Ediane

“ Tenho muito orgulho de ter recebido a educação do campo, a condição me fez a mulher que sou para valorizar a terra. O evento foi importante para perceber o quanto a terra é valiosa, precisamos de mais ações como o 2° agrocacau para incentivar os pequenos produtores e também a classe estudantil”, enfatizou Ediane.

Edvar bastos, um dos responsáveis do evento expressou que: 


Edvar Bastos

“Superamos nossas perspectivas, pois, o evento teve três dias de muita atividade e vivemos momentos positivos porque agregamos professores, estudantes, agricultores, associações e cooperativas nessa discussão da produção do cacau e do chocolate”, frisou Edvar.

José Mendes, também responsável pelas atividades do 2° agrocacau, complementou dizendo que:
José Mendes

“O conhecimento e a educação são fatores primordiais para a transformação da economia da nossa região territorial. Acredito que conseguimos alcançar nossos objetivos, pois, compartilhamos informações importantes para ajudar os pequenos produtores”, finalizou Mendes.

Vicente Andrade    


Veja mais fotos:
Cascata de Chocolate 





Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial