.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Coluna Patrício Oliveira: Vamos Rir do que?






“Vamos rir do que?”, esse é o nome do texto do Patrício Oliveira. O interessante é que a escrita tem um humor que cutuca o “molde” do politicamente correto.
Mesmo que tenha sido publicado há três anos, parece ser tão recente se comparado com os problemas que o povo enfrenta no cotidiano.  Por exemplo, você já imaginou o que passa com as pessoas que necessitam do sistema único de saúde? Já imaginou o que se passa com as pessoas que se preocupam com os bons modos e acabam engolindo os sapos sem se quer externar o que pensam? Isso é caso de internação psicológico ou comodismo.
Outra coisa, você já analisou o quanto os salários dos políticos que foram eleitos subiram? E o salário do povo subiu a mesma coisa? Acho que não, até ai a desigualdade prevalece. Desculpe o termo, mas que porra é esse Brasil?
Enquanto o salário do povo segue em baixa referente ao dos políticos, a conta de energia, a cesta básica, a água, o medicamento, a cerveja e tantas outras coisas subiram para lascar o cano na cabeça do cidadão brasileiro. O povo é maior que todo representante, mas disperso, são menores que uma formiga.
Além disso, o texto de Patrício ainda faz uma crítica importante sobre a questão do homossexualismo e as formas de generalização do caso.....
Vamos rir do que mesmo?
Até eu acho estranho estar postando mais alguma coisa em tão pouco tempo: tem menos de 6 meses que postei a última coisa aqui (hehehe). Mas, 4 coisas me levaram a este post. Primeira coisa: suricaty postou o terceiro post no blog dele, chegando à incrível marca de 1 post e meio por ano!! (uow!)

Em segundo, eu estava relendo alguns posts antigos deste blog pra ver se eu continuo com o juízo fora de lugar (você não leu errado: eu quero saber se eu estou mermo com o juízo fora de lugar - a palavra "mermo" confirma isso). E acabei descobrindo que queimei a língua mais uma vez:

eu informei que descobri que minha pedrinha no rin tinha crescido e aparecido. E eu iria me tratar antes de ir parar numa emergência de hospital em Salvador. Mas não é que não teve jeito? Fui parar na emergência de um hospital em Salvador de novo. Senti dores loucaças! Uma merda...

Em terceiro, me lembrei de uma conversa sobre política lá no meu trabalho. Coisa mais inútil é falar de política e políticos: vivemos em uma democracia representativa, o cara que é eleito governa pra todos. Não dá pra se eximir da culpa de ter esse ou aquele governante só porque você não votou nele. Não, não estou falando da Dilma. Quer dizer, estou falando dela também.

O Lula disse que ser muito radical depois de véio é coisa de maluco. Isso justifica ele ter sido "Fernando Henrique e PSDB 2: O retorno". E Dilma continua nessa onda... Então vamos continuar votando em empresários, Vamos continuar tendo record de impostos. Vamos continuar pagando pra poder pagar pelas coisas. Vamos continuar dirigindo em ruas esburacadas nas cidades e em "BRs com pedágios" (pra que serve mesmo o IPVA?). E vamos continuar um povo politicamente bunda cagada. Até aqui, nenhuma novidade...

Acontece que, nestes últimos dias entre o último post e esse, aconteceram coisas realmente sérias: O humor brasileiro (e talvez mundial) ficou tetraplégico (êpa, posso ser processado por isso!).

Então, em quarto lugar: a MTV teve que pedir desculpas pelo programa MTV Comédia ter lançado um quadro chamado "Casa dos Autistas" - não se pode fazer graça com os autistas porque dá processo. Um humorista do CQC teve que se desculpar porque fez piada com judeus - não se pode fazer graça com os judeus porque dá processo. O STF liberou o casamento entre homossexuais. Uma diretora de escola aqui na Bahia foi parar na justiça e, talvez, no olho da rua, porque perguntou a um aluno que estava tentando "comer" outro se ele gostava de homem e o acusou de estar fazendo "ousadia" (aqui na Bahia, fazer ousadia é bolinar, tentar "comer" outra pessoa, mas, em geral, do sexo oposto). Resumindo: não se pode fazer graça com homossexuais, mermo que eles sejam inocentes sobre sua própria condição sexual, porque dá processo. Alguns soldados dançaram o Hino Nacional em ritmo de Funk e vão se fuder por causa disso na justiça militar.

A pergunta é:

V A M O S - R I R - D O - Q U Ê ?


Alguém aqui já assistiu àquele episódio da Família Dinossauro em que o Baby aprende um palavrão e eles acabam implantando o sistema "politicamente correto" na TV? Não? Vale a pena baixar e assistir. Como eu tenho boa memória e lembro bem do episódio, nunca precisei baixá-lo e por isso não vou disponibilizar um Link. Vocês que se lasquem pra assistir essa inteligente estória, se quiserem...

Agora, fico pensando: e se aquele meu projeto fosse à frente? Também não poderíamos mais fazer graça das pessoas feias! (nesse caso eu me daria bem). Mas, fica cada dia mais difícil fazer humor no Brasil. Se o Costinha fosse vivo hoje, iria passar fome. Meu Deus!! Como será que está se virando o Ary Toledo??

O que eu sei é que as pessoas hoje discutem sobre o humor escrachado do pânico ou o inteligente do CQC. Mas pra mim, nenhum deles, nem o cansado casseta e planeta, serve pra dar uma mera risadinha. Melhor fico com o Mundo Canibal na atualidade e com o histórico Monty Python.
O Meu medo é de que fazer graça, seja lá do que for, se torne ilegal e dar o cu seja dever de todo cidadão...



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial