.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

TÁ DE SACANAGEM NÉ? Feito para ri




 Este texto literário foi escrito pelo Patrício Oliveira e se trata dos métodos importantes para os estudantes que querem passar nos vestibulares.

O mais engraçado é que o traçado das linhas faz ri. Um texto literário que é capaz de aguçar a mente e viajar na história. Vale a pena conferir!



E então, depois de muita insistência, resolvi que iria me matricular no vestibular só porque eu queria ir pra praia e ninguém queria ir comigo! "Comer água" num lugar diferente. Tinha como fazer isso na minha cidade (o vestibular e comer água), mas a graça seria fazer isso num local onde eu não fazia isso. Me inscrevi. E ainda tive um bônus: como as provas seria realizadas também na segunda feira, eu ainda teria direito a uma folga no trabalho - logo na segunda, cheio pra porra! O chefe com certeza iria ficar muito feliz...

Desde guri gostava muito de ler ficção científica. Acho que o primeiro livro foi lá na 5ª série: As sete cidades do arco-íris. Xisto no Espaço também passou por aqui. Júlio Verne foram vários, mas não todos. Lá na facul, quase toda a série Império, Robôs e Fundação do Asimov, além de alguns livros "fora de série" e alguns da série lucky starr (é assim que escreve?). Li mais alguns bons autores também, como o Orson Scott Card e o H. G. Wells.

Misture tudo isso a uma risada fácil. sou besta pra porra pra rir.

Então, sentado lá na hora da prova do vestibular, 15 anos depois de ter feito um pela última vez, 10 anos depois de ter me formado, topei com o tema da redação.

"Pirirí-pororó" encontraram um planeta parecido com a Terra. Astronomicamente perto daqui e talz. Crie uma redação dissertativa-argumentativa onde você se candidata pra ir morar nesse planeta e explicite qual será sua contribuição sócio-econômica, política e cultural.

Nesse momento, ri alto. Incomodei os outros candidatos e levei uma olhada da fiscal. Mas fazer o quê né? Lembrei de Danilo, Vagner, Charles e outros que liam FC. Enquanto eu deixava a mente procurar a melhor argumentação em minhas lembranças de livros de Asimov e Douglas Adams, fui fazendo o resto da prova.

Faltando alguns poucos minutos pra o fim do tempo de prova, fiz o primeiro rascunho. Resolvi não ser tão técnico quanto o Asimov, nem tão muito louco como o Adams. Fui  fazendo uma redação muito enlatada (como sempre), me sentido um verdadeiro pré-universitário. Até que, quando vi pronto o rascunho, faltando menos de 10 minutos pra acabar o prazo, percebi que estava tudo uma verdadeira merda. (kkkkkkkkkk)

Resolvi ler de novo e desdenhar de tudo que tinha escrito. Mas, nesse meio tempo, apareceu uma leve fumaça à minha direita e pareceu formar um rosto, um rosto fininho, com um óculos redondo. Então, John Lennon me disse: "-Véi, já escrevi essa redação antes. Pode usar a minha!"

Então eu disse: "-De boa!"

Peguei a canção do cara e fiz uma tradução em forma de prosa. Pode pegar a letra e traduzi-la: está tudo lá. É exatamente a resposta do tema da redação! Dei o crédito pro Lennon na redação, claro. Ele merece. E eu nem estava bêbado ou ressaqueado ainda. E acabei passando! Imagine...









Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial