.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Política ipiauense e a prática do assistencialismo




Caro leitor, no âmbito da democracia é necessário um trabalho coletivo para que as transformações sociais sejam realizadas com sucesso. Mas para isso acontecer é necessário que o individualismo seja quebrado e os interesses pessoais sejam exumados, em se tratando da política pública.

É necessário pensar numa estratégia econômica para gerar postos de trabalho e renda para as famílias que mais precisam de atenção. Mas observando coerentemente é necessário começar as transformações pelos municípios. Em Ipiaú, por exemplo, é carente de políticas públicas que garanta o acesso aos direitos do cidadão.

Não é algo fácil conquistar o direito pleno e para isso, exige muita luta coletiva e soberania popular. Para conquistar o direito é preciso também questionar e cobrar do poder público os projetos para a melhoria social. E além disso, participar ativamente das decisões do município é um dos caminhos para o avanço da democracia.

Nesse cenário político, por enquanto, só estou vendo propagandas políticas. Além disso, não vejo nenhum discurso que vise solucionar de fato o desgaste ambiental, a melhoria na educação e a inclusão social. Fica uma reflexão. 

O que falta para muitos que querem adentrar no ramo da política é a humanidade, o interesse para a promover melhores condições de vida para a população.

Assistencialismo ipiauense e a política de esmola

A discussão do assistencialismo é importante para se pensar em propostas melhores para solucionar os problemas sociais e tornar nossa comunidade mais independente e livre da cadeia do curral eleitoral.

No contexto em que vivemos é importante que exista esse assistencialismo para amenizar a gritante diferença social existente em nosso município. 

Por outro lado, o assistencialíssimo torna a sociedade viciada em pedir e não cria alternativas para que os beneficiados busquem algo pela própria melhoria de vida.

O dinheiro que é dado para os beneficiários é tão pouco que não oferece acesso igualitário a saúde, a educação, ao lazer e a capacitação do indivíduo, ou seja, não oferece um horizonte melhor de vida, em relação ao crescimento pessoal e financeira.

O direito de acesso igualitário aos direitos fundamentais está reservado na Carta Constitucional do nosso país. Será que está lei está sendo levada a sério?

O assistencialismo está ligado aos programas de governo que oferece uma quantia mensalmente para as famílias que vivem à margem da pobreza, são exemplos, o bolsa família, o fome zero e tantos outros.

Analisando dessa forma, o assistencialismo é apenas uma esmola para tapar o sol com a peneira. A política do dar, ser assistencialista é importante para suprir uma demanda de imediatismo, porém não pode ser considerada como um carro chefe de governo para sanar os problemas sociais. É necessário que exista mais rigor e prazo referente a esse tipo de programa assistencialista.

Salário alto de políticos e a prática do assistencialismo 

O assistencialismo tem se fortalecido e ramificado nos âmbitos governamentais do município, principalmente no âmbito legislativo. Não é coerente e nem tão pouco ético, os vereadores receberem acima do piso salarial do município de Ipiaú. O vereador ipiauense recebe seis mil reais por mês e só vai apenas uma vez por semana na câmara. E você trabalhador, quanto ganha?  Quantas horas trabalha por dia?

Em sua maioria, o salário do vereador é utilizado para a disseminação do assistencialismo e a formação do curral eleitoral, uma vez que, fazem do mandato a prática de beneficiar a poucos.

Pagar uma conta de água aqui, outra de luz ali, levar no hospital, pagar passagem, arrumar um emprego e tantos outros pequenos favores não é o suficiente para contemplar a transformação e melhoria social por inteiro.   

É necessário banir a prática assistencialista de formação de curral eleitoral e de oferecer esmola ao povo.  É importante pensar num projeto político de geração de renda e emprego para a comunidade. Assim como, investimento na educação e saúde.

Para tanto é necessário ter consciência política e humana para contribuir com o avanço da sociedade. Muitos querem entrar na política para ganhar altos salários, observem atentamente. O político que gasta dinheiro em eleição não merece seu voto, pois certamente ele irá tirar de algum lugar o que foi gasto. Ninguém fica rico distribuindo dinheiro. Pense bem.

O jornalismo independente 

O trabalho do jornalismo independente é promover o debate sobre a realidade em que vivemos. É uma porta alternativa que tem como objetivo questionar as mazelas e apontar saídas para os problemas enfrentados pela sociedade. Se não fosse pelo jornalismo independente, livre de amarras, não iria existir o outro lado da opinião.

Vamos Acordar Ipiaú


Vicente Andrade
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial