.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Mestre em meio ambiente diz que a situação da bacia hidrográfica do Rio de Contas é crítica



 A ipiauense Nelma Lima é mestre em desenvolvimento regional e meio ambiente e também é especialista em Agroecologia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)
."
A bacia hidrográfica do Rio de Contas não está suportando os níveis de assoreamento. Esse problema pode comprometer a disponibilidade hídrica para o consumo humano e prejudicar a fauna e a flora"


O meio ambiente é um bem importante para a vida do planeta e principalmente para os seres humanos. É tão precioso que devemos preservar para garantir a existência das futuras gerações.

Está visível o quanto a natureza vem sofrendo com os desastres ambientais e em consequência disso, o ser humano vai definhando em busca de saídas para garantir a sobrevivência.

Em nossa região podemos observar facilmente o desmatamento, a degradação dos rios e as variações climáticas. Essas mazelas prejudicam a lavoura e ainda pode provocar doenças para a comunidade. 

Temos exemplos a serem citados como a falta d’água em Itabuna e Ilhéus, a queda da produção cacaueira e as doenças provocadas em pessoas que moram beira-rio.

A sociedade do consumo

Vivemos numa sociedade do consumo que cresce a cada dia para satisfazer as necessidades do comércio e de grandes empresas.
O grande problema é o consumo exagerado que se espalha pelo mundo provocando diversos impactos, principalmente, ambiental.

Outro problema causado pela sociedade do consumo é a maximização da geração de lixo e a poluição do solo e do ar. Em decorrência disso, o planeta vai se deteriorando e provocando reações indesejáveis para a sobrevivência humana.

Para tanto é necessário criar formas para minimizar os efeitos ou pensar numa saída para garantir a vida das futuras gerações.


O mundo sustentável é possível

A questão de sustentabilidade tem sido discutida em todo mundo a bastante tempo. O imbróglio é implantar na prática esse sistema.

A ideia da sustentabilidade é atender a interação entre o homem e o mundo para não comprometer os recursos naturais.

Para aborda o assunto da sustentabilidade, o blog Vicente Andrade conversou com a ipiauense, Nelma Lima, mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e Especialista em Agroecologia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Nelma explicou que a política que se baseia no crescimento econômico vai de encontro com os aspectos da sustentabilidade.

“Quando a política se baseia no crescimento econômico ela vai de encontro com a sustentabilidade. Para promover a sustentabilidade é necessário pensar nos três pilares, social, econômico e ambiental. A sustentabilidade não se faz sem pensar nesses aspectos” ressaltou Nelma.

Nelma também completou dizendo que os bons projetos não são realizados a curto prazo, ou seja, no imediatismo.  


“Os bons projetos de sustentabilidade são aqueles ao longo prazo e não a curto prazo, pois precisam de planejamento e ordenamento. O poder público em sua totalidade precisa enxergar a cidade de fora para dentro, pois as cidades estão crescendo desordenadamente. O essencial é criar e propor políticas e diretrizes com bons planejamentos. Esse é o essencial” frisou Nelma.

Ainda de acordo com Nelma, “uma cidade de pequeno porte, como Ipiaú, que está em via de crescimento, seria importante a implantação de ciclovias, isso já ajudaria bastante a repensar num plano para cidade”.

O Rio de contas

Já em relação ao Rio de Contas, Nelma, foi bastante enfática e falou de um dos problemas que comprometem a vida da bacia hidrográfica do Rio de Contas.

“Eu vou ser bastante realista. A bacia hidrográfica do Rio de Contas não está suportando os níveis de assoreamento. Esse problema pode comprometer a disponibilidade hídrica para o consumo humano e prejudicar a fauna e a flora. Dificilmente enxergamos a vegetação nas margens do rio” argumentou Nelma.

Para Nelma, a situação é crítica por “existir trechos do Rio de Contas que você pode atravessar andando. E se não tomar providências vai faltar água. Outro exemplo é o Rio Cachoeira, que passa por Itabuna e está em estado decepcionante, pois só conseguimos enxergar as pedras”.

Nelma ainda pediu para que a comunidade cobrasse seus direitos e exigisse mais atitude do poder público em relação ao meio ambiente. E ainda lembrou que crescimento e desenvolvimento possuem significados diferentes.  


Vicente Andrade
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial