.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

JÁ ESCOLHEU O SEU CANDIDATO?





Vamos lá! Neste texto irei ser breve ao fazer uma análise do quadro político ipiauense, principalmente, dos candidatos a vereadores. No total, não sei quantos estão na disputa por uma cadeira no legislativo, por outro lado, é fácil visualizar os candidatos pelas ruas pedindo votos.

O vereador tem uma função importante para a comunidade como, por exemplo, criar leis, fiscalizar o prefeito, aprovar projetos e ouvir os anseios da população.

É valido deixar claro que não é fácil criar projetos sociais que contribua com o avanço político e social da comunidade. Para tanto é preciso ter conhecimento teórico e prático, sabedoria e experiência.

Para ajudar com a reflexão: Quais são os trabalhos sociais realizados pelos vereadores atuais e também pelos candidatos que estão pleiteando o cargo?
Observe o que eles estão fazendo para merecer o mandato e quais posicionamentos são tomados e quais são os interesses de cada um.

É importante lembrar que o salário pago aos vereadores é altíssimo e está acima do piso salarial do município e é desse salário que muitos fazem o assistencialismo como forma de conseguir votos.

O salário do vereador atual é de seis mil e ano que vem será de sete mil e quinhentos. Uma injustiça com o trabalhador ipiauense e uma pedrada no avanço democrático e social do nosso município.

A comunidade precisa acordar e abrir os olhos para identificar os falsos homens e mulheres do povo, pois, muitos só pensam em benefícios próprios e querem usar o serviço público para ter status e privilégios.

Assistência social x assistencialismo

De acordo com Graciela Ló Nunes, a assistência social tem um objetivo de recuperar a autoestima dos vulneráveis, ou seja, oferecer condições por meio de práticas universais que assegurem os direitos de todos cidadãos.

Para completar, a assistência social não é destinada apenas para as pessoas que vivem à margem da pobreza, mas também para aquelas que sofrem de outros problemas como, por exemplo, quem sofreu abuso sexual ou, até mesmo, psicológico.

Já o assistencialismo é uma prática individual, um favorecimento em troca de favores que não irá mudar a realidade social do indivíduo e sim pelo contrário, irá torná-lo dependente.

Muitos candidatos utilizam dessa forma para conseguir votos como por exemplo, conseguindo uma consulta médica, telhas, saco de cimento, dinheiro e tantas outras formas imediatistas. Observem.

O assistencialismo quer reduzir a questão social, simplesmente, na sobrevivência do indivíduo, esquecendo de promover a inserção do mesmo na sociedade. Essa mazela acaba gerando cada vez mais a subserviência. 

Por tanto, imaginar a cidadania plena numa sociedade pobre, em que o acesso aos bens de serviços é limitado, nada mais é que uma mera ilusão.
Assim sendo, a assistência social atinge um todo com projetos eficientes e coletivo e o assistencialismo é um projeto individual imediatista.

Em busca da cidadania

De acordo com Amélia Hamze, para que a sociedade tenha conhecimento da importância de ser cidadão é necessário conhecer seus direitos e reivindicar por eles. E para que o conceito de cidadão saia do papel é importante que o indivíduo seja marcado por suas vitórias, como sujeito construtor e co-autor de uma cidadania democrática.

A cidadania é a participação igualitária, social e justa referente aos direitos reservados para cada um cidadão.  Fica a dica!  

Para encerrar, o papel da impressa alternativa é criar alternativas de notícias e incentivar o debate com o objetivo de democratizar o espaço da informação. Somado a isso é um jornalismo cidadão e que tem interesse em contribuir com o avanço e a conquista da cidadania.

Caso tenha algum candidato a vereador que realize algum trabalho social comprovado e que não seja assistencialista deixe o nome dele aqui e comente. Deve ter alguém.  Pense e reflita!

Acorda, Ipiaú!

Vicente Andrade


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial