.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

100 anos de Guerra do Sertão de Jequié revela primeira mulher a entrar no cangaço




A literatura é uma arte de expressão, uma essência que eterniza histórias, contos, poesias, fatos, sentimentos e tudo aquilo que se deve existir. A literatura é um resgate e uma permanência de  sentir-se vivo.  

O Território Médio Rio de Contas é uma região rica em diversos segmentos, principalmente, em se tratando de cultura.  E para comprovar um pouco desse aspecto, foi realizado nessa sexta-feira (4) e sábado (5), a primeira edição do Salão do Livro de Jequié (SALIJ), no Centro de Cultura da cidade.

O evento reuniu uma gama de professores, historiadores, pesquisadores, músicos, escritores, jornalistas, cineastas, fotógrafos, estudantes e tantos outros amantes da literatura regional.

Oficinas de desenho artístico e literária, contação de história, lançamentos de livros e palestras foram algumas das atividades que integraram o evento.

100 anos de guerra no sertão de Jequié e a primeira mulher do cangaço

Um dos destaques foi a palestra que retratou um pouco da história de Anésia Cauaçu e os 100 anos de Guerra do Sertão de Jequié, na noite desse sábado.

O palestrante, Domingos Ailton, mestre em memória social e documentos pontuou que Anésia foi a primeira mulher a entrar no cangaço e já liderava centenas de pessoas muito antes de Maria Bonita, mulher de lampião.
"No ano que Maria Bonita nasceu Anésia já liderava o seu bando" Domingos Ailton

“Tem nos livros de história que Maria Bonita foi a primeira mulher a entrar no cangaço, isso não é verdade. Os documentos comprovam que Anésia foi a primeira mulher a entrar no cangaço. Pra você ter uma ideia, no ano que Maria Bonita nasceu, em 1911, Anésia já liderava o seu bando” explicou Domingos.

Domingos Ailton ainda completou que “naquela época onde o machismo e o paternalismo imperava fortemente em nossa região, a Anésia também foi a primeira mulher a vestir calças compridas, a montar de frente no cavalo e ainda ter uma boa pontaria com a arma de fogo”.

Na ocasião, Domingos Ailton ainda lançou o romance Regionalista sobre a história de Anésia cauaçu e os 100 anos da Guerra no Sertão de Jequié.  

A violência das expedições militares

Na edição do Jornal A Tarde, do dia 25 de outubro de 1916, foi publicada uma entrevista com a Cangaceira Anésia Cauaçu, a publicação é um documento importante que comprova a existência de Anésia como a primeira mulher a entrar no cangaço.

Também, na mesma edição, o Jornal A Tarde denunciou a violência e o genocídio causados contra os cangaceiros e também contra pessoas inocentes da região. Os policiais faziam com que as pessoas comessem lama, fossem crucificadas as margens do Rio de Contas e, além disso, jogavam crianças para o ar para serem aparadas com baionetas.

A guerra do sertão de Jequié foi um confronto entre os militares e os jagunços dos coronéis contra os cangaceiros Cauaçus.

Exposição fotográfica e poemas

Retratos da infância na escola. Esse foi o tema da exposição fotográfica do professor Diego Brito. Ao todo, foram exibidas 30 fotos de crianças com o objetivo de mostrar o cotidiano da escola e dos alunos uniformizados.

“Eu fui fotografando essas crianças num período de dois anos dentro da escola, mostrando o cotidiano delas. E essa infância da criança uniformizada que venho revelar  em diversos retratos que traduzem outras infâncias” concluiu Diego.
 Retratos da infância na escola com Diego Brito

Maicelma Souza esteve presente e falou da importância do evento para valorizar a cultura da região.

Maicelma Souza 

“Temos que referendar  que a arte é uma dimensão que precisamos valorizar e reconhecer o valor dela para a formação do ser humano.  Este evento trata de uma temática relevante que é o reconhecimento dos escritos e fotografias das pessoas da terra” frisou Maicelma.

Além das fotografias, durante o evento houve participação de poetas. A escritora, Adriane Miranda, recitou poemas de autoria própria sobre as questões do amor.
A escritora, Adriane Miranda, recitou poemas de autoria própria sobre as questões do amor.





Vicente Andrade
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial