.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Uma homenagem ao Edvaldo Santiago: Memória viva de amor por Ipiaú


Edvaldo Santiago e Wanda Santiago (foto Vicente Andrade)


Mesmo que tivesse todo o conhecimento do mundo, do tempo, de linhas de um caderno ou qualquer coisa especifica, não seria o suficientemente para descrever, decifrar e contar a grandiosidade das ações, atividades e vida do grande mestre, Edvaldo Santiago (Professor Tatai).
Não tive o prazer de ser aluno do professor Tatai, por outro lado, obtive a graça de ouvir diversas histórias e poder passar algumas horas com ele para absolver um pouco de conhecimento de uma memória viva ipiauense e que ainda tem muito a ensinar as pessoas. Além da trajetória de vida emocionante, o professor Tatai é de uma grande simplicidade incomparável regada pelo amor no coração pela esposa, família e povo de Ipiaú.

Nesse singelo trabalho quero deixar no tempo um legado, um registro imortal de uma personalidade que sonha e que ama.  Que possui uma alma grande de consciência sobre a vida e que sempre nos deixará lembranças e histórias vivas. E que elas sirvam de incentivo para o presente e para a futura geração, que ascenda a consciência das novas gerações para que aviste no horizonte algo promissor para a evolução da nossa querida Ipiaú.
Conversei com o professor Tatai nesse domingo (16) de Páscoa, um dia especial para os cristãos que acreditam na ressureição de Cristo.
Ficamos horas conversando, ouvir atentamente tudo o que me dizia para poder relatar um pouco da história e sentimento do professor. Também para registrar na história o legado deste honroso homem que fincou seus pés em Ipiaú construindo o avanço e obtendo admiradores pelos quatros cantos da cidade.
Como chegou a Ipiaú e o retrato da infância
Professor Tatai nasceu na cidade de Nazaré das Farinhas, não conheceu os pais e foi criado com a ajuda de uma irmã, tia e três irmãos. Tempos difíceis que ficaram lá atrás e que não foram motivos para fechar o caminho de Tatai.

“Fui morador na celebre casa situada no Beco do Padre Antunes, em Nazaré das Farinhas, numero 9. Minha história é tão humilde e pobre que não tenho fotos da minha infância. Era muito raro tirar fotos, só comecei a tirar fotos depois do celular. Ai bom, tirei várias (risos)” explicou Tatai.  
  
Durante a infância foi criado num Orfanato chamado Clementes Caldas. De acordo com Edvaldo, o orfanato era destinado aos pobres e o colégio era para quem tinha mais condições.
Mas ele, desde cedo, soube estudar e por ser destaque no orfanato conseguiu uma vaga no colégio e assim, completou o ginásio em 1942.
O apaixonado por Wanda Santiago

Após adentrar no ginásio, Tatai conheceu diversas pessoas, entre eles, algumas de Ipiaú. E foi da família Castro que ele recebeu o convite para conhecer Ipiaú. Durante a visita a cidade se hospedou no casarão dos Castros por um tempo.

“Cheguei a Ipiaú em 1947, tinha 17 anos e por acaso conheci a minha menina, que hoje é minha esposa Wanda” ressaltou Tatai.

Na sala os livros e fotos de familiares marca a história do professor 


A paixão e o amor que sentia por Wanda fez o professor Tatai se instalar em Ipiaú fincando as raízes nessa cidade. Ao todo são 8 filhos, 17 netos e 11 bisnetos.

O alfaiate e a bordadeira

Chegando a Ipiaú, o professor Tatai começou a trabalhar como Alfaiate fazendo peças de roupas para colegas e celebridades da cidade.
Tatai afirmou que chegou a fazer entre 30 e 40 peças de roupas por mês. Era o trabalho que tinha para se sustentar.
Após firmar o namoro com Wanda, o casal começou a trabalhar juntos. Enquanto ele fazia roupa, ela bordava.
A queda do cacau
Em bom tom, Tatai, ressaltou que com a queda do cacau teve que deixar a profissão de alfaiate para dar seguimento aos estudos. E assim o fez.
Em 1964, passou no concurso e foi nomeado para ser professor do Colégio do Estado. Além disso, ensinou no Celestina e no Colégio Rio Novo. A partir disso, ele foi um dos percussores para a formação de médicos, professores e tantas outras profissões escolhidas pelos cidadãos ipiauenses. Várias gerações passaram pelas mãos de professor Tatai.
Em busca de conhecimento   
Mesmo diante da luta pela sobrevivência, os dois apaixonados, não deixaram de estudar e logo seguiram a vida como professores.
O professor Tatai não se acomodava e sempre vivia em busca de conhecimento.
Em 1967 ingressou no curso de psicologia e filosofia. Já em 1977, com 51 anos de idade, se formou em direito e começou a advogar.
De acordo com Tatai, ele já chegou a fazer júri com Euclides Neto.
“Foi uma luta, ia para Itabuna estudar todos os dias. Já estava muito cansado e com muita luta me formei em direito com 51 anos de idade. Já fiz júri junto com Euclides Neto, meu mentor na área de direito” frisou Tatai.
Criações   
Além de contribuir com a implantação do Colégio Estadual de Ipiaú, o professor Tatai também ajudou a formar o time do Independente de Ipiaú, o Rotary Clube e também a Maçonaria.
Tatai será homenageado em breve pelo Rotary Clube de Ipiaú, na cidade de Porto Seguro pela importância dele para o nosso município e por ter ajudado a criar o Rotary.
O político  
Sua paixão por Ipiaú e pelo desejo de contribuir com o bem do povo adentrou na política.
Ao todo foram oito mandatos como vereador e uma rica bagagem de benfeitorias na cidade. Até hoje muitas pessoas são agradecidas ao professor pelo empenho, simplicidade, humildade e carinho que sempre teve por todos.
Professor Tatai ressaltou que não quis sair candidato a prefeito porque não sabia dizer não a ninguém e como vereador seria melhor que prefeito, pois, ajudava mais o povo.
Ele ainda ressaltou que não entende a briga politica um com o outro. Acha estranha essa briga pelo poder sem razão. Sabendo que as ações devem ser em razão do povo e não para benefícios próprios.  
A Saúde
Foram anos contribuindo com a evolução da nossa cidade e até hoje o professor Tatai está lucido e cheio de ensinamentos para passar para todos nós.
Sem sombra de dúvida, não dar para negar o legado deste homem que tudo fez para melhor servir ao nosso município.
E servindo com amor se destacou, marcou a história e está vivo para poder escutar, ler, ver e sentir esta pequena homenagem para lhe oferecer mais um pingo de felicidade e admiração.    
Mesmo que o mestre esteja cansado pelo tempo, pelas atividades e trajetória de vida realizada, ele está vivo, sentindo o amor de familiares e amigos que fazem questão de sempre consultá-lo para ouvir os ensinamentos e oferecer a mão para este homem que muito fez por todos nós.
Em meio à conversa, ele ressaltou que está na hora de pendurar a chuteira e assistir o jogo na arquibancada. Já é tempo, até mesmo pela luta, são mais de 75 anos em Ipiaú, trabalhando e seguindo a vida que Deus o deu. O mais gostoso é que ele está feliz, forte e sentindo os prazeres da vida, no sorriso bonito de Dona Wanda, no abraço apertado dos amigos e pelo carinho incondicional que recebe dos familiares e amigos.

Tenho a convicção que a vida do professor Tatai só esteja começando e ainda iremos comemorar e realizar diversas homenagens para compor, ainda mais, a gratidão pela vida.

O Bote Fé

O bate papo com o professor Tatai foi de muito aprendizado e de grande relevância para dar seguimento ao que ele sempre pregou. O amor e o bem ao povo ipiaunse.  

E assim, ele relembrou em melodia o hino de Ipiaú e deixou um abraço forte extensivo para a comunidade.

O programa Bote Fé! Você é a Sua Salvação! Programa Jornalístico a Favor da Cidadania, dessa quinta-feira (20), realizou uma homenagem ao professor Tatai.

Além da entrevista com o mestre, diversas pessoas que foram alunos dele relataram o carinho e gratidão que sentem por Edvaldo Santiago.
Externo com muita felicidade o prazer de realizar esta breve homenagem ao Edvaldo Santiago (professor Tatai).
          

Vicente Andrade 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial