.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Uma homenagem ao perfil de um cidadão comum de Belchior


 

Não tive a satisfação de conhecer o Belchior pessoalmente, mas já passei e ainda passo madrugadas escutando as músicas deste artista que lutou contra a empresa  fonográfica e cantou o futuro.
Um rapaz latino americano sem dinheiro no bolso, um cidadão comum, um homem que cantou a vida e deixará saudades.
Existe um diálogo com as canções de Belchior, uma semelhança com o povo nordestino e os emblemas dos problemas sociais e pessoais.
Sinceramente, acho que perdemos uma grande pessoa que poetizou a vida e esqueceu todos os bens que possuía para voltar ao marco zero, depois de uma bela trajetória de vida e música. Entre o sonho e o som.
Os fantasmas do porão, a felicidade incerta e a busca de viver e achar um caminho para seguir. Talvez esse seja apenas o início da vida de Belchior. Já havia escrito sobre o cantor expressado a minha admiração por ele.
Do coração da América a velha roupa colorida, da fotografia três por quatro até divina comédia humana, onde nada é eterno.
Segue o imaginário e vontade de cantar  Belchior. Aos 70 anos nos deixa e acredito que Deus o colocará no lugar devido desse cantor Brasileiro.
Da roupa suja de Baton até ao coração do Brasil, um estudante da vida, um guerreiro pela causa dos desfavorecidos. Que só podia ajudar, cantando.
Do palo seco até um perfil de um cidadão comum. E que surjam novos belchianos para cantar e soltar a voz.
Nobre andarilho Belchior, que a sua partida seja benéfica para a sociedade repensar os caminhos. A alucinação de suportar o dia a dia, porque mesmo vivendo assim não podemos esquecer-nos de amar um ao outro.
Temos sempre novas coisas para dizer e a nossa história, do povão, é igual a sua. Como são comuns os transtornos do nosso tempo e o que é feito para amenizar?
Sua partida é como se fosse um ente querido, fica um vazio nos porões e por isso, estarei cantando as suas canções, escutando das paralelas até aos galos noites e quintais. E cantando nos despedimos de Belchior.... “Não sou feliz, mas não sou mudo e hoje eu canto muito mais... na na na na na na”.
Belchior sua voz, melodia e letras estarão conosco para a eternidade.
E desesperadamente eu grito em português... Porque amar e mudar as coisas me interessa mais...

Vicente Andrade        
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial