.

BOTE FÉ! Jornalismo a Favor da Cidadania!

Solte a sua voz: Manoel de Jesus o filósofo da Batateira




Pessoas simples e de coração grande tem muitas coisas para contar para todos nós. Conheci seu Manuel por acaso e com ele conversei várias vezes sobre coisas da vida e logo ele soltou a voz.
Um potencial de seu Manoel é que ele está sempre com o sorriso no rosto e dissemina felicidade para quem o encontra.  Manoel nasceu em Ipiaú depois que a mãe saiu da cidade de Nanuque (MG) e se instalou em nosso  município.
“Minha mãe saiu de Nanuque para Ipiaú e viveu aqui até o dia final de Vida. Eu nasci aqui e aqui estou até hoje. Não conheci meu pai, fui criado apenas por minha mãe” explicou Manoel.
Manoel é morador da Rua Walter Hollenweger (Batateira). Ele tem 58 anos e contou como era antigamente a rua onde mora.
“Antes aqui tinha casa de taipa, muita lama, muita animação e o povo era mais unido e de uns anos pra cá as coisas só estão piorando. Aqui no fundo tinha muito cacau e muitas plantas e tudo que plantava dava e por isso o nome foi colocado de rua da batateira” frisou Manoel.
Durante a infância ele trabalhou de auxiliar de sapateiro, auxiliar de mecânico, carpinteiro e hoje sobrevive da construção civil.
Além disso, Manoel também trabalhou 25 anos como padeiro, aprendeu a profissão, mas teve que abandonar por causa da quentura nos olhos causada pelos fornos. E antes de perder as vistas largou a profissão. 
Manoel conviveu com a namorada durante 14 anos, tem dois filhos e criou todos eles.
“Me amasiei com minha ex-namorada, tive dois filhos e registrei todos eles, criei com muito amor e carinho e hoje eles estão bem e trabalhando. Todos me consideram como pai e me dou muito bem com eles” ressaltou Manoel.
Conversando sobre Ipiaú ele ainda afirmou que Ipiaú precisa de progresso e melhoria.
“Ipiaú precisa melhorar muita coisa, a cidade que não tem progresso é pior que a roça, não tem indústria para trabalhar e como o povo vai viver?” indagou Manoel.
Mesmo assim, Manoel ressaltou que é feliz por estar vivo e contou um pouco da própria filosofia de vida.
“Me sinto bem, feliz  e alegre, não tenho inimigos e também não desejo mal a ninguém. Vivo respeitando as pessoas para ser respeitado. A gente tem que brincar pra todos ficarem feliz, se eu conto uma piada que todos se agradam todos irão sorrir, diferente quando contamos coisas ruins e todos ficam moribundo e contando  alegria só nos traz saúde” concluiu Manoel.
Vicente Andrade

   
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial